IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE

IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE
2017 Ano da Paternidade

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

No último sermão da Mars Hill Church, pastor Rick Warren aconselha fiéis a não serem amargos em relação a Mark Driscoll

No último sermão da Mars Hill Church, pastor Rick Warren aconselha fiéis a não serem amargos em relação a Mark Driscoll
O pastor da igreja Saddleback (Califórnia, EUA) e autor do livro “Uma Vida com Propósitos”, Rick Warren, foi o preletor do último sermão ministrado na Mars Hill Church, igreja fundada por Mark Driscoll. Essa foi a última pregação da igreja, cuja diretoria confirmou que irá “fechar suas portas” e explicou que muitas de suas congregações poderão continuar como independentes.
O fechamento da igreja se deu após a polêmica demissão de seu fundador e líder, que recentemente renunciou ao cargo de pastor-presidente. Em seu sermão, Rick Warren incentivou as congregações da Mars Hill Church a – antes de fechar definitivamente as portas da denominação – confiar em Jesus e dar graça a seus líderes, incluindo Mark Driscoll.
– Deixe-me sugerir isto: Número um, se recusem a serem amargos sobre o que aconteceu. Se você se apegar à amargura, você só vai se machucar. Amargura prolonga a dor – afirmou o pastor no sermão pré-gravado, que foi transmitido simultaneamente em todos os templos da denominação.
– Número dois, recuse-se a culpar alguém. … Pare com o jogo da culpa. Número três, se recuse a fofocar ou julgar. … Você tem que deixar isto para trás … Número quatro, demonstre graça para com os seus líderes. Por quê? Porque todo líder é falho. … Número cinco, seja grato. … Você precisa ser grato por todas as maneiras que Deus usou a Mars Hill Church. Seja grato por todas as maneiras que Deus usou Mark Driscoll … Número seis, mantenha seus olhos em Jesus – continuou o pregador.
Diante da série de conflitos e polêmicas que marcaram a dissolução da igreja, Warren afirmou estar orgulhoso pelos fiéis que permaneceram na denominação.
– Eu estou orgulhoso de vocês. Vocês ainda estão aqui. Vocês sabem que qualquer um pode seguir a Jesus quando se trata de uma festa, mas o verdadeiro teste de maturidade espiritual é como você lida com as tempestades da vida, as dificuldades e até mesmo as mudanças que você não pode prever. É importante saber o que fazer quando Deus muda o seu plano – ressaltou o pastor, acrescentando que o nascimento de Jesus mudou os planos de todos, e citando Provérbios 19:21, que diz: “Muitos são os planos no coração de uma pessoa, mas é o propósito do Senhor que prevalece.”
Segundo o The Christian Post, a mega-igreja está vendendo ou transferindo toda sua propriedade. O nome Mars Hill e a marca também serão completamente dissolvidos até o final do ano.
– Tudo estará fechando no final do ano, incluindo os nossos escritórios centrais – disse o diretor de comunicação da Mars Hill, Justin Dean, ressaltando que “a Mars Hill deixará de existir após 31 de dezembro de 2014″.

Estudiosos apontam para o declínio das religiões e avanço do ateísmo em todo o mundo

Estudiosos apontam para o declínio das religiões e avanço do ateísmo em todo o mundo
Uma tendência mundial que tem chamado a atenção de estudiosos da sociologia e ciências da religião é o número cada vez maior de pessoas que se afastam da religião, e que se declaram abertamente como ateus.
Uma pesquisa realizada pelo instituto Gallup International, que entrevistou mais de 50 mil pessoas em 57 países, mostra que o número de indivíduos que se dizem religiosos caiu de 77% para 68% entre 2005 e 2011, enquanto o número daqueles que se identificaram como ateus subiu 3%, elevando para 13% a proporção da população sem religião.
– Há muito mais ateus no mundo hoje do que jamais houve, tanto em números absolutos quanto em porcentagem da humanidade – relata Phil Zuckerman, professor de sociologia e estudos seculares no Pitzer College, na Califórnia, e autor de “Living the Secular Life” (“Vivendo uma vida secular”, em tradução livre).
Zuckerman afirma que o capitalismo e o acesso à tecnologia e à educação parecem ter relação direta com o declínio da religiosidade em algumas populações, e ressalta que nações que registram maiores taxas de ateísmo tendem a ser aquelas que oferecem a seus cidadãos uma estabilidade econômica, política e existencial relativamente alta.
Porém, mesmo com a redução do número de religiosos em muitos países, os estudiosos afirmam que “declínio, no entanto, não quer dizer desaparecimento”, como argumenta Ara Norenzayan, psicólogo social da Universidade da Columbia Britânica em Vancouver, no Canadá, e autor de Big Gods (“Grandes Deuses”, em tradução livre).
– Por alguma razão, a religião parece dar um sentido ao sofrimento, muito mais do que qualquer ideal secular – ressalta Norenzayan, que acredita que, mesmo se os problemas do mundo fossem milagrosamente resolvidos e todos nós vivêssemos em paz e igualdade, as religiões ainda estariam entre nós.
De acordo com a BBC, os acadêmicos apontam dois motivos principais pelos quais acreditam que as religiões sempre vão existir, apesar do seu aparente declínio. O primeiro deles é o que a neuropsicologia chama de “buraco na forma de Deus”, uma suposta falha evolucionária que nos torna “vulneráveis” a acreditar em forças intangíveis. Outro fator é que a religião promove coesão e cooperação em grupo, muitas vezes pelo medo ou pela adoração a um ser superior, o que ajudou a manter a ordem em muitas sociedades, o que, segundo os especialistas, ainda colabora para a continuidade da presença de religião em inúmeras culturas.

Arqueólogos afirmam ter encontrado local onde Jesus Cristo foi julgado

Arqueólogos afirmam ter encontrado local onde Jesus Cristo foi julgado
Esta semana arqueólogos anunciaram terem descoberto os restos do palácio do rei Herodes ao lado do Museu da Torre de Davi, em Jerusalém. A descoberta pode representar uma grande mudança no caminho percorrido por peregrinos cristãos que viajam a Israel visto que, segundo o relato bíblico, este seria o lugar onde o governador romano Pôncio Pilatos condenou Jesus à morte.
Segundo informações publicadas pelo jornal americano “Washington Post”, as ruinas do palácio foram descobertas durante escavações que tinham como objetivo inicial a expansão do Museu da Torre de Davi, planejada há 15 anos. Era de conhecimento dos cientistas que havia uma prisão no local, mas eles não tinham conhecimento do estava debaixo dela.
As escavações foram atrasadas em muitos anos devido às guerras na região e à falta de verba, mas agora a grande descoberta está sendo exibida para o público em excursões organizadas pelo museu. Amit Re’em, arqueólogo de Jerusalém que liderou a equipe de escavação há mais de uma década, comentou sobre a descoberta afirmando que a prisão “é uma grande parte do quebra-cabeça de Jerusalém e mostra a história da cidade de uma forma muito original e clara”.
A descoberta foi comentada também por Shimon Gibson, professor de arqueologia da Universidade de Carolina do Norte em Charlotte, que afirmou que estudiosos estão quase certos de que o julgamento de Jesus ocorreu no complexo de Herodes. O episódio é descrito como tendo ocorrido “perto de um portão e em um pavimento de pedra irregular”. Os detalhes coincidem com os achados arqueológicos anteriores perto da prisão.
– Obviamente, não há qualquer inscrição informando o que aconteceu aqui, mas tudo (relatos arqueológicos, históricos e religiosos) recai sobre este lugar e faz sentido – afirma o professor.
Pedro Paulo Abreu Funari, arqueólogo e professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), também falou sobre a importância da descoberta, e de como achados arqueológicos como este servem para comparações com os relatos bíblicos.
– Quando se trata de lugares onde Jesus teria estado há locais que são evidentemente imaginativos porque não há dados concretos sobre eles. Outra coisa são lugares de Jerusalém onde ele esteve ou pode de fato ter estado, como é o caso do palácio de Herodes, sobre o qual há referências em relatos bíblicos. A descoberta é importante para os fieis, que não necessariamente precisam de evidências, mas principalmente para os estudiosos que podem tirar ilações a partir dela. É possível, por exemplo, ver se o local condiz com o relato de que Jesus teria sido apresentado ao povo junto com Barrabás – afirma Funari.
A opinião do professor da Unicamp é compartilhada também por Jeanne Cordeiro, do Laboratório de Arqueologia Brasileira, que explicou que “a arqueologia demanda fontes que podem ou não ser corroboradas pelas descobertas” e que “a Bíblia é uma fonte enquanto relato histórico de uma sociedade, no caso a judaica”.
– A fé não requer constatação, mas a ciência sim. É disso que se trata a arqueologia bíblica – ressaltou Jeane.

Queda de avião da AirAsia mata 42 membros de igreja evangélica

Queda de avião da AirAsia mata 42 membros de igreja evangélica
Até agora, as equipes de resgate da Indonésia recuperaram 39 dos 162 corpos das vítimas do voo 8501 da AirAsia, que caiu no mar de Java na última semana de dezembro. Segundo divulgado hoje pela agência EFE, fontes oficiais afirmam que as fortes correntes e ondas têm dificultado cada vez mais as tarefas de busca.
A aeronave transportava 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malaio e um cidadão de Cingapura. Destes, mais de cinquenta eram cristãos de ascendência chinesa, e pelo menos 42 pessoas entre as que viajavam no avião eram membros de uma igreja evangélica, a Igreja Mawar Sharon Church.
Segundo informações do The Christian Post, a bordo do avião estava também uma família de missionários cristãos: Park Seong-beom, de 37 anos, sua esposa, Lee Kyung-hwa, e sua filha de onze meses de idade. O missionário realizava trabalhos evangelísticos na Indonésia desde setembro do ano passado.
Diante da grande tragédia, o pastor Philip Mantofa, da Mawar Sharon Church se reuniu com cerca de 100 famílias no saguão do aeroporto de Surabaya, na Indonésia, em um culto, e orou com eles na véspera do Ano Novo.
– Ajuda-nos, ó Deus, para continuarmos, mesmo que estejamos cercados pela escuridão. Algumas coisas não fazem sentido para nós, mas Deus é maior do que isso. Nosso Deus é bom – orou o pastor.
As equipes de resgate continuam com a busca por mais vítimas e pelas caixas-pretas do avião que permita às autoridades aéreas esclarecer as causas do acidente. Desde o fim de semana, os mergulhadores e veículos não-tripulados tentam confirmar que cinco grandes objetos localizados com radares cerca de 30 metros de profundidade pertencem ao Airbus 320-200 do voo QZ-8501. O mar de Java, palco de várias batalhas navais durante a Segunda Guerra Mundial, tem vários restos de navios em seu fundo marinho.