IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE

IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE
2017 Ano da Paternidade

sábado, 18 de outubro de 2014

Vereadores e diretor da Sabesp fazem oração por chuva em São Paulo para amenizar seca

Vereadores e diretor da Sabesp fazem oração por chuva em São Paulo para amenizar seca
A falta de chuva em São Paulo e a consequente falta d’água potável nas torneiras vem prejudicando milhões de moradores do estado, e na cidade de Franca, autoridades e munícipes resolveram apelar para a oração a fim de encontrar uma solução para o problema.
A iniciativa partiu do pastor Otávio Pinheiro (PTB), que também é vereador, e fez uma oração solicitando a ajuda divina por chuva. Pinheiro estava acompanhado de outros 12 vereadores, além do diretor da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP), Rui Engracia.
“Fiquei muito assustando quando vi aquela situação, com o rio baixo e cheio de terra. A gente já estava orando nos templos, mas agora resolvemos pedir a ajuda de Deus daqui mesmo. Não tem como não se desesperar”, afirmou o pastor, fazendo referência à situação que ele e as demais autoridades encontraram ao visitar o rio Canoas, uma das principais fontes de abastecimento da cidade.
De acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo, em Franca – assim como em todo o estado – a Sabesp não assumiu oficialmente que esteja acontecendo racionamento de água.
No entanto, a partir da última quarta-feira, 15 de outubro, a empresa passou a divulgar uma lista com dezenas de bairros que sofrerão corte no fornecimento de água em períodos alternados.
O diretor da Sabesp Rui Engracia informou que a quantidade captada atualmente é insuficiente para abastecer toda a cidade e, por isso, 27 caminhões-pipa têm buscado água o dia todo em represas da região para completar os reservatórios.
Engracia se queixou que o consumo médio diário na cidade é de 170 litros de água por habitante, muito acima dos padrões recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomenda que o uso de 110 litros por pessoa diariamente seriam suficientes para viver de forma confortável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário