IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE

IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE
2017 Ano da Paternidade

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Eduardo Campos, candidato a presidente da República, morre em acidente aéreo

Eduardo Campos, candidato a presidente da República, morre em acidente aéreo
O candidato à presidência da República Eduardo Campos (PSB) estava à bordo de um avião modelo Cessna 560XL que se caiu hoje, às 09h55 em Santos, litoral paulista A candidata à vice na chapa, missionária Marina Silva, não estava à bordo do avião.
A emissora GloboNews e o jornal O Globo anunciaram que Campos faleceu no acidente, e essa informação da morte foi confirmada pelo Comando da Aeronáutica. Além do candidato, o fotógrafo oficial da campanha, Alexandre Severo Silva, os dois pilotos e outras três pessoas estavam à bordo e também faleceram.
De acordo com as informações preliminares, devido ao mau tempo no aeroporto do Guarujá, o piloto da aeronave precisou arremeter o pouso, e logo em seguida, o avião caiu numa área residencial em Santos, cidade vizinha.
O governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), cancelou os compromissos de campanha da tarde e se dirigiu a Santos, assim como a candidata à vice na chapa de Campos, Marina Silva, e o candidato à presidente pelo PSDB, Aécio Neves, que cancelou seus compromissos na Paraíba e está se dirigindo para o local. A presidente Dilma Rousseff (PT) divulgou através de sua assessoria de imprensa que fará um pronunciamento hoje à tarde sobre o caso.
Eduardo Henrique Accioly Campos completou 49 anos no último dia 10 de agosto, era formado em economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Já havia sido deputado estadual e federal, ministro da Ciência e Tecnologia no governo Lula e governador do Pernambuco por dois mandatos. O responsável por sua introdução à política, seu avô, o também ex-governador Miguel Arraes, faleceu em 2005, coincidentemente também num dia 13 agosto.
Local da queda do avião em que Eduardo Campos viajava
Local da queda do avião em que Eduardo Campos viajava

Campanha

Eduardo Campos era o terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto e apostava no início do horário político obrigatório para conquistar os votos necessários para disputar o segundo turno das eleições.
Entre suas principais propostas, estavam a criação de um modelo educacional que permitisse aulas em período integral, além da implantação de uma política que priorizasse o desenvolvimento sustentável.
Ontem, durante uma entrevista ao vivo para o Jornal Nacional, da TV Globo, Campos disse que queria representar uma mudança no atual modelo de política: “Ao lado da Marina Silva, eu quero representar a sua indignação, o seu sonho, o seu desejo de ter um Brasil melhor. Não vamos desistir do Brasil. É aqui onde nós vamos criar nossos filhos, é aqui onde nós temos que criar uma sociedade mais justa. Para isso, é preciso ter a coragem de mudar, de fazer diferente, de reunir uma agenda. É essa agenda que nos reúne, a agenda da escola em tempo integral para todos os brasileiros, a agenda do passe livre, a agenda de mais recursos para a saúde, a agenda do enfrentamento do crack, da violência… O Brasil tem jeito. Vamos juntos. Eu peço teu voto”.
Marina Silva, vice-candidata à presidência pelo PSB, havia apresentado Campos a um grupo de 2 mil pastores numa reunião realizada na sede da Assembleia de Deus Ministério do Belém, em São Paulo, no último dia 04 de agosto.
A legislação eleitoral vigente prevê a possibilidade de substituição do candidato que encabeça a chapa, e a missionária assembleiana Marina Silva poderá ser a indicada para o seu lugar. Essa decisão deverá ser tomada em convenção partidária e informada à Justiça Eleitoral até um dia antes da eleição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário