IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE

IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE
2017 Ano da Paternidade

terça-feira, 23 de abril de 2013

Idosa paga meio milhão de reais a supostos pastores para “expulsar demônio” de sua vida

Idosa paga meio milhão de reais a supostos pastores para “expulsar demônio” de sua vida
Induzida por promessas de exorcismo, a aposentada Orlanda de Oliveira Rosa, 82 anos, entregou diversos bens, incluindo uma casa no valor de R$ 500 mil a um casal de supostos pastores. De acordo com o G1, Julieta de Souza e Nelson Martins Jimenez, que se identificaram como pastores e teriam prometido livrar a vítima do demônio.
De acordo com a idosa, a estória era usada pelo casal para ter acesso aos bens e até mesmo a dinheiro.
- Ela (a pastora) falou que tinha um demônio no carro e que eu não podia pegar, porque eu ia até morrer. Disse que ia levar para um irmão orar – relatou a idosa sobre o golpe.
Afrânio Alves Corrêa, advogado da idosa, conta que a suposta pastora chegou a pedir para que dona Orlanda comprasse uma casa em seu nome.
- Eles manipulavam o sentimento religioso dela, dizendo que tinham acesso a outros parentes já falecidos, e essas pessoas estariam fazendo reivindicações. E por serem caras a ela, essas pessoas, a idosa atendia às reivindicações – afirmou o advogado.
A Polícia Civil começou a investigar o caso em junho de 2011, quando provas apontaram que o crime foi praticado desde 2010 e durou aproximadamente um ano. Pertences e o carro da vítima chegaram a ser encontrados com o casal, tendo sido recolhidos e devolvidos à idosa, que agora está prestes a recuperar a casa que comprou para os supostos pastores. O Ministério Público Estadual (MPE) ofereceu denúncia em dezembro de 2012 e, no mesmo mês, foi concedida liminar para que o imóvel também fosse devolvido para a idosa, decisão mantida no julgamento do mérito, em fevereiro de 2013.
O casal recorreu da decisão judicial, mas perdeu em segunda instância em julgamento na 5ª Câmara Cível na quinta-feira (18). O advogado Fábio Bazílio da Rosa, que representa os acusados, nega que eles tenham praticado o crime.
O crime chama a atenção por ter usado a religião como plano de fundo, e preocupa líderes evangélicos.
- Esse religioso faz parte de um conselho de pastores? Presta contas a alguém? São perguntas importantes para se verificar se um líder está realmente com o propósito de pregar a palavra de Deus e ajudar as pessoas ou está usando da boa fé das pessoas para extrair coisas ao seu benefício próprio – comentou o pastor Ronaldo Leite Batista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário