IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE

IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE
2017 Ano da Paternidade

terça-feira, 23 de abril de 2013

Projeto de deputado evangélico para tratamento para homossexuais recebe apoio de ativistas gays

Projeto de deputado evangélico para tratamento para homossexuais recebe apoio de ativistas gays
No Rio de janeiro, o deputado estadual evangélico Édino Fonseca (PEN-RJ) apresentou um projeto de lei prevê atendimento médico, psicológico e psiquiátrico para homossexuais. Publicado nessa quinta-feira, 18 de abril, no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, o projeto recebeu o apoio de ativistas da causa LGBT.
Pastor evangélico da Assembleia de Deus desde 1972, Fonseca, que é integrante da bancada evangélica estadual e conhecido como “Marco Feliciano carioca, afirma que seu projeto teve como base um estudo da Classificação Internacional de Doenças (CID 10), pesquisa que aborda o homossexualismo como doença.
O projeto de lei Nº 2139/2013 pede ao Estado a garantia de acesso aos serviços oferecidos pela saúde pública, tendo como público alvo portadores de patologias descritas pela CID como o transexualismo, transtorno de identidade sexual na infância, travestismo fetichista, transtornos múltiplos da preferência sexual, entre outros.
Em seu texto o projeto “garante o acesso aos serviços de saúde pública aos cidadãos portadores de patologias descritas pela Classificação Internacional de Doenças”.
- As patologias apresentadas no Projeto de Lei são de ordem Psicológica e Psiquiátrica, podendo levar o paciente a elevado quadro depressivo e, até mesmo, ao suicídio. O próprio Conselho Federal de Medicina emitiu uma Resolução de nº1955/2010 que trata do transexual, sendo este portador de desvio psicológico permanente de identidade sexual – diz o texto do projeto de lei, que recebeu o apoio de ativistas como Cláudio Nascimento (Programa Estadual Rio sem Homofobia), Charlene Rosa (Programa GLBT Duque de Caxias) e Neno Ferreira (Associação de Gays e Amigos de Nova Iguaçu e Mesquita).
- Ao analisar friamente o processo, vejo que ele, se pensou em gerar constrangimento, deu um tiro no pé, pois todos vão passar a ter atendimento à saúde – comentou Cláudio Nascimento ao jornal O Dia, sobre o projeto.

Inspirada em Friedrish Nietzsche, nova música do Black Sabbath questiona se “Deus está morto”

Inspirada em Friedrish Nietzsche, nova música do Black Sabbath questiona se “Deus está morto”
Uma disputa entre Deus e o Diabo foi o tema escolhido para a nova música de divulgação do novo CD da banda Black Sabbath. Inspirada na famosa frase “Gott ist tot” (Deus está morto) dita pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche, a música traz à tona questionamentos sobre a religião, um dos temas favoritos da banda.
- Não acredito que Deus está morto – diz um trecho da música, que inicia afirmando: – Eu estou perdido na escuridão/ Me afasto da luz.
Intitulada “God Is Dead?” (Deus está morto?), o single faz parte do álbum “13″, primeiro disco de estúdio da banda em 35 anos com Ozzy Osbourne no vocal, segundo o UOL. O álbum tem previsão de lançamento para o dia10 de junho.
No refrão, Osbourne questiona se Deus está mesmo morto, e pergunta saber quem dará a ele alguma resposta. Marcada por um tom sombrio, e pelos característicos riffs da banda considerada percussora do heavy metal, a música questiona também a existência de vida após a morte, e a veracidade das escrituras sagradas.
- Me pergunto se iremos nos encontrar de novo do outro lado / Você acredita em alguma coisa / Do que o bom livro diz? / Ou é tudo um conto de fadas sagrado e Deus está morto? – questiona um trecho da música.
Logo após seu lançamento na última quinta feira (18), que ocorreu de forma simultânea em rádios do mundo, a música se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter, e agradou aos fãs da banda, e a outros artistas conhecidos, como Slash, ex-guitarrista do Guns ‘n’ Roses, que elogiou a canção.
Sobre a polêmica criada em torno do título da música, Ozzy Osbourne afirmou que há uma mensagem positiva no fim da letra, mas que o título controverso foi escolhido por questão de marketing.
- Quanto mais pessoas protestarem, melhor. Nos anos 80 e início dos 90, alguém decidiu colocar adesivos nas capas dos discos [os selos “parental advisory”, criados para designar discos com conteúdo dito “impróprio”]. As vendas subiram, porque a molecada queria conhecer justamente aqueles álbuns que diziam que elas não podiam ouvir. E isso vendeu mais discos! – afirmou o vocalista, em entrevista para a revista Rolling Stone Brasil.
- “God is Dead?”, não é sobre Deus estar morto. É sobre alguém lhe dizendo que Deus está morto, e daí eu digo que não acredito que Deus esteja morto. Existe uma mensagem positiva no final da música, não é aquilo de “ah, estou feliz, muito satisfeito de que Deus está morto.” Não é que esteja dizendo que o diabo é quem domina tudo – completou o cantor.

Prefeito de cidade de maioria cristã se assume gay e critica Marco Feliciano: “Deus me ama como homossexual”

Prefeito de cidade de maioria cristã se assume gay e critica Marco Feliciano: “Deus me ama como homossexual”
Edgar de Souza (PSDB), prefeito da cidade de Lins, cidade do interior de São Paulo, único candidato assumidamente homossexual a se eleger em 2012, concedeu uma entrevista em que criticou uma das polêmicas publicações do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) no Twitter.
Lins, situada no centro-oeste do Estado, região de Bauru, é uma cidade com pouco mais de 70 mil habitantes e mais de 140 templos de igrejas evangélicas. Na cidade, o pastor Marco Feliciano é uma figura popular, principalmente pelas cruzadas evangelísticas que realizou na região, segundo informações do site do jornal Valor Econômico
O prefeito Edgar de Souza, 34 anos, sociólogo e católico, assumiu sua homossexualidade há nove anos, e após três mandatos como vereador, se elegeu prefeito pela primeira vez em 2012, e criticou a postura adotada pelo pastor Feliciano.
“Me senti muito ofendido quando o Marco Feliciano colocou no Twitter que o destino da criança criada por casais homoafetivo é ser vítima de pedofilia. É uma idiotice que não tem tamanho. A maior parte de casos de pedofilia acontece em relações heterossexuais, porque a maior parte das pessoas é hetero. Larga a mão de ser idiota falar uma coisa dessa. Ele coloca todo mundo sob suspeição. Sabe aquela coisa, se na rua tem um traficante todo mundo se torna traficante”, afirmou ao G1.
Ele e o companheiro, Alex, abrigam uma família, com dois meninos de três e dois anos de idade, além da mãe, que precisava de abrigo após problemas com o pai das crianças.
Durante sua campanha para a prefeitura da cidade, assumiu publicamente sua homossexualidade: “Eu não tenho que esconder com quem eu vivo, quem eu amo. Se eu esconder, não mereço ser prefeito de vocês. Deus me ama como homossexual”, afirmou.
Segundo Edgar, que cresceu dentro da Igreja Católica, seu aprendizado sobre a Bíblia é que o trouxe convicção sobre isso: “A minha formação cristã fez eu reconhecer que Deus me ama como homossexual. Dentro da igreja sempre tive a consciência muito tranquila. Tive um problema de embate pessoal com a doutrina quando houve a publicação de um documento do Vaticano do Papa Bento XVI, que falava que os homossexuais não poderiam atender ao sacerdócio. Mas a vivência nas comunidades é muito maior do que isso”, observou o prefeito.
Nem mesmo a questão polêmica da homossexualidade fez as lideranças evangélicas da cidade mudarem sua postura sobre o apoio ao agora prefeito: “Durante a campanha tive apoio de vários pastores e de muitas igrejas evangélicas. Não podemos generalizar. Obviamente também tiveram vários pastores que foram contra por conta da minha homossexualidade. Também tiveram católicos mais conservadores que acham que a homossexualidade é um problema”, resumiu.

Idosa paga meio milhão de reais a supostos pastores para “expulsar demônio” de sua vida

Idosa paga meio milhão de reais a supostos pastores para “expulsar demônio” de sua vida
Induzida por promessas de exorcismo, a aposentada Orlanda de Oliveira Rosa, 82 anos, entregou diversos bens, incluindo uma casa no valor de R$ 500 mil a um casal de supostos pastores. De acordo com o G1, Julieta de Souza e Nelson Martins Jimenez, que se identificaram como pastores e teriam prometido livrar a vítima do demônio.
De acordo com a idosa, a estória era usada pelo casal para ter acesso aos bens e até mesmo a dinheiro.
- Ela (a pastora) falou que tinha um demônio no carro e que eu não podia pegar, porque eu ia até morrer. Disse que ia levar para um irmão orar – relatou a idosa sobre o golpe.
Afrânio Alves Corrêa, advogado da idosa, conta que a suposta pastora chegou a pedir para que dona Orlanda comprasse uma casa em seu nome.
- Eles manipulavam o sentimento religioso dela, dizendo que tinham acesso a outros parentes já falecidos, e essas pessoas estariam fazendo reivindicações. E por serem caras a ela, essas pessoas, a idosa atendia às reivindicações – afirmou o advogado.
A Polícia Civil começou a investigar o caso em junho de 2011, quando provas apontaram que o crime foi praticado desde 2010 e durou aproximadamente um ano. Pertences e o carro da vítima chegaram a ser encontrados com o casal, tendo sido recolhidos e devolvidos à idosa, que agora está prestes a recuperar a casa que comprou para os supostos pastores. O Ministério Público Estadual (MPE) ofereceu denúncia em dezembro de 2012 e, no mesmo mês, foi concedida liminar para que o imóvel também fosse devolvido para a idosa, decisão mantida no julgamento do mérito, em fevereiro de 2013.
O casal recorreu da decisão judicial, mas perdeu em segunda instância em julgamento na 5ª Câmara Cível na quinta-feira (18). O advogado Fábio Bazílio da Rosa, que representa os acusados, nega que eles tenham praticado o crime.
O crime chama a atenção por ter usado a religião como plano de fundo, e preocupa líderes evangélicos.
- Esse religioso faz parte de um conselho de pastores? Presta contas a alguém? São perguntas importantes para se verificar se um líder está realmente com o propósito de pregar a palavra de Deus e ajudar as pessoas ou está usando da boa fé das pessoas para extrair coisas ao seu benefício próprio – comentou o pastor Ronaldo Leite Batista.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Vitória! Missionários José Dilson e Zeneide são libertados de prisão no Senegal após pressão de entidades brasileiras

Vitória! Missionários José Dilson e Zeneide são libertados de prisão no Senegal após pressão de entidades brasileiras
Os missionários brasileiros no Senegal José Dílson Alves da Silva e Zeneide Novaes foram libertados hoje, 05 de abril, após apelação apresentada pelo advogado contratado por entidades nacionais.
O juiz que recebeu a apelação na corte de Dakar aceitou conceder a liberdade provisória aos missionários, que haviam sido presos sob a acusação de tráfico de menores e formação de quadrilha.
José Dilson e Zeneide Novaes estão presos no país desde novembro, quando as acusações contra eles foram feitas.
Um advogado cristão senegalês foi nomeado pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) para acompanhar o caso, com suporte das entidades Religious Liberty Partnership (RLP) e Advocates International, e deverá dar suporte aos missionários até o fim do processo.
Recentemente a ONG Rio de Paz havia lançado um abaixo-assinado pedindo a libertação dos missionários. O presidente da entidade, pastor Antônio Carlos Costa, está no Senegal e acompanhou a libertação dos missionários. A imagem acima foi publicada por ele de dentro da prisão em Thiés.
A Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT) divulgou um comunicado em que ressalta a necessidade de apoio contínuo aos missionários, pois o processo continua em curso: “Precisamos continuar orando pelo processo que continuará em andamento até ao seu julgamento final em data a ser determinada pela justiça senegalesa”.
Até o final do julgamento, José Dilson e Zeneide não poderão deixar o Senegal, e deverão cumprir algumas obrigações referentes ao caráter provisório da decisão, como por exemplo, se apresentar todos os dias na prisão de Thiès, de acordo com informações da Missão Portas Abertas.

Revista Time destaca crescimento da igreja evangélica entre latinos: “A Reforma Latina”

Revista Time destaca crescimento da igreja evangélica entre latinos: “A Reforma Latina”
Em sua edição lançada no dia 4 de abril, a revista norte-americana Time teve como matéria de capa uma análise sobre o crescimento dos evangélicos latinos nos Estados Unidos. Intitulada “The Latino Reformation” (A Reforma Latina), a matéria foi escrita pela jornalista Elizabeth Dias.
- Os latinos evangélicos são um dos segmentos de mais rápido crescimento de milhões de frequentadores de igrejas dos Estados Unidos – frisou Dias.
De acordo com uma pesquisa recente da Pew Forum on Religion and Public Life, cerca de 62 por cento dos 52 milhões de latinos nos Estados Unidos são católicos. Richard Stengel, editor gerente da revista, comentou o assunto destacando que eles são latino-americanos que abraçaram uma forma evangélica de Protestantismo.
- Eles abandonaram o catolicismo por todos os tipos de razões – afirmou Stengel, que prevê que os evangélicos sejam metade dessa população em 2050.
De acordo com o relatório feito por Elizabeth, os hispânicos, como também são chamados, parecem se voltar ao movimento protestante por este oferecer uma relação mais pessoal com Deus, do que o catolicismo.
- Eles vêm em grupos, mães latinas e crianças, avós e amigos. ‘Que Dios te bendiga’ (Que Deus abençoe), diz cada um, oferecendo abraços e beijos para todos os que encontram – descreve a jornalista.
Destacando o rápido crescimento das igrejas que visitou para compor a reportagem, na região de Washington D.C., Elizabeth Dias disse ter encontrado sinais de uma reforma latina. A reportagem afirma ainda que tal crescimento de latinos evangélicos está influenciando também temas como a reforma imigratória, além de outras questões políticas.

Bancada Evangélica apresenta nota de repúdio contra presidente da Venezuela por homofobia

Bancada Evangélica apresenta nota de repúdio contra presidente da Venezuela por homofobia
O presidente da Frente Parlamentar Evangélica, deputado João Campos (PSDB-GO), apresentou uma moção de repúdio contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. A nota condena o político por “homofobia” e foi aprovada por unanimidade na Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados, onde o pastor Marco Feliciano é o presidente.
A moção foi motivada por declarações homofóbicas feitas por Maduro em sua campanha à eleição presidencial. Como forma de descreditar seu adversário, Henrique Caprilles, Maduro passou a espalhar um boato de que Caprilles é gay.
- Eu, sim, tenho mulher, escutaram? Eu gosto de mulheres – chegou a bradar em um de seus comícios, ao lado da sua mulher.
Capriles tem 40 anos e não é casado. Na época, ele reagiu às afirmações do adversário político criticando sua postura e clamando por uma sociedade mais igualitária.
- Quero enviar uma palavra de rechaço às declarações homofóbicas de Maduro. Não é a primeira vez. Creio numa sociedade sem exclusão, na qual ninguém se sinta excluído por sua forma de pensar, seu credo, sua orientação sexual – afirmou.
O jornalista Reinaldo Azevedo comentou a atitude da Bancada Evangélica questionando o silêncio de Jean Wyllys e de outros políticos que defendem a agenda gay no Brasil.
- Cadê Jean Wyllys? Cadê os outros esquerdistas da comissão? Por que nunca protestaram contra os homofóbicos islâmicos ou de esquerda? – questionou Azevedo, ressaltando a proximidade dos políticos da esquerda brasileira com os líderes venezuelanos.
- Por que ela (a moção) não foi proposta por petistas e psolistas? Sim, meus caros, há sete petistas lá: Érika Kokay, Domingos Dutra, Nilmário Miranda, Padre Ton, Janete Rocha Pietá, Luiz Couto e Vicentinho. Há ainda dois representantes do PSOL: além de Jean Wyllys, Chico Alencar. – completou o jornalista, que disse ainda que “até esquerdistas admitem que a questão de gênero é, no fundo, mero pretexto para uma outra batalha”.

Comediante diz que usava folhas da Bíblia para fumar maconha: “fumei o Pentateuco inteiro”

Comediante diz que usava folhas da Bíblia para fumar maconha: “fumei o Pentateuco inteiro”
Na última semana o comediante Rey Biannchi participou do programa “Agora é Tarde”, apresentado por Danilo Gentili, e revelou detalhes sobre sua vida e dependência química. Rey, que é também ator e músico, afirmou que usava folhas da Bíblia para fumar maconha, e disse ter “fumado o Pentateuco inteiro”.
- Eu tinha uma Bíblia, daí eu fumei o Pentateuco inteiro. O papel era fininho e eu sempre fumava a sagrada da manhã – afirmou o comediante, que revelou também já ter frequentado uma igreja evangélica.
Ele revelou ainda que já vendeu drogas para nomes como Cazuza e Lobão, mas que hoje está limpo, e há muitos anos não faz mais uso de entorpecentes.
- Eu usava muita droga, dá para notar né? Eu vendia droga para sobreviver para cheirar. Aí quando eu comecei a vender na Columbus, uma boate que tinha em Copacabana no Rio de Janeiro. O Cazuza uma vez, eu não tinha mais droga para vender, vendi sal para ele – disse Biannchi, que revelou também já ter vendido naftalina como cocaína para o músico Lobão.
- Mas hoje estou há 21 anos limpo. Sou a prova viva de que a pessoa pode ser babaca sem usar nada, eu achava que não podia fazer nada sem droga – completou, brincando com o apresentador Danilo Gentili.