IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE

IGREJA APOSTÓLICA VIDA ABUNDANTE
2017 Ano da Paternidade

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Reeleição de Hugo Chávez preocupa cristãos na Venezuela

Reeleição de Hugo Chávez preocupa cristãos na Venezuela
Com a reeleição de Hugo Chávez para meis seis anos na presidência da Venezuela, os cristãos locais estão temerosos quanto a seu futuro.
“Entre os verdadeiros crentes, há um sentimento de decepção”, diz Daniel Sandoval, diretor-executivo dos Ministérios Mundo Espanhol. Segundo ele, há uma sensação de medo sobre o que acontecerá nos próximos anos. “Mas, estamos certos de que Deus está no comando de quem é o presidente da Venezuela”, afirmou.
Mesmo com a vitória com 54% dos votos válidos, a vitória do ditador desapontou muitos venezuelanos que vivem nos EUA. Em meio a isso, pairam rumores e indícios de fraude eleitoral.
O temor dos cristãos é compreensível, já que em 2006 Chávez expatriou muitos missionários que atuavam em regiões tribais.
Sandoval observou o fato de que Chavez esteja se tornando uma pessoa mais religiosa. “Antes de anunciar que estava com câncer ele condenava Israel. Quando ele voltou de Cuba após as cirurgias e quimioterapias, ele voltou com a ideia de que precisava de Jesus em sua vida”, disse, segundo oCharisma.
O diretor do ministério pondera que apesar disso as ideias socialistas de Chavez não mudaram, e ele aponta para a fuga de investimentos da Venezuela. “As pessoas pobres continuam pobres, os ricos estão se mudando para outros países ou estão decidindo não investir seu dinheiro no país”, pontua.
Para ele, as injustiças sociais só serão corrigidas quando o venezuelanos vieram a Cristo. “Os cristão têm de estar firmes em suas convicções e ter ousadia para alcançar os perdidos por meio do Evangelho. Na Venezuela, certamente, haverá mais obstáculos”, diz.
O ministério transmite no país programas evangelísticos de radio. Sandoval enfatiza que os cristão têm autoridade por meio de Cristo. “Existem muitas pessoas que precisam ser salvas na Venezuela, assim como no restante da América Latina, onde os programas já atingem muitas pessoas.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário